domingo, 12 de julho de 2009

AMOR À LÍNGUA



Eu a amo tanto que
às vezes, me espanto
fico muda, de respeito

como a verdade
ela jamais se desnuda
toda

com agulhas de dor
e fios de ausência
teço seu enxoval

embora não seja parteira (e sim curiosa)
cuido que renasça
sempre

parto a palavra e embarco
sem medo de que alguém (ela ou eu)
seja náufrago, vá à pique

porque partida, ela é mais inteira
escrita, mais próxima da falha do que falada
vazia, plena de possíveis sentidos
solta, prende e apreende melhor
a coisa

nessa alquimia verbal
não procuro nem acho, transmuto
abro caminhos
e invento meu ponto de estofo
gozo inter-dito

Ana Guimarães



12 comentários:

  1. Renascendo do inter-dito; internas falas, FALAS do que falamos, do falo que é a comunicação intra o externa dita.
    Na vida das falas ecritas/
    fitas, que circulam as "vistas",
    ou ouvidas que se complementam e seguem
    semeando nos canteiros.
    Bela poesia
    Beijos e boa semana.
    Estás produtiva. Parabéns pela sempre disponibilidade de trocar

    ResponderExcluir
  2. Homenagear a palavra, traidora, próxima, distante, gaveta, ônibus, mas sempre fascinante. Ela enfeitiça que a utiliza, e exige sempre mais de quem a ama. Infinita palavra, infinito eu, infinitas ligações. Parabéns pela poesia dita, escrita e lavrada. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Toda boa! E com essa frase fico:
    "não procuro nem acho, transmuto
    abro caminhos"
    Obrigada!
    Besitossss

    ResponderExcluir
  4. Olá Ana!! Obrigada por esse seu amor à língua. Somos nós os premiados, pois podemos desfrutar de suas maravilhosas obras .
    Fico com a Quel... que fica com: "não procuro nem acho, transmuto abro caminhos". D+ !!!!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  5. Meus D'us que lindo o teu poema!

    Obrigada pela tua contribuição no comentário, lembrando Woody Allen , inseri no post,o deixou mais rico.

    beijo e boa semana.

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Gostaria de convidá-la praqui:
    www.semtidogozado.blogspot.com
    Parabéns pelo site e por outras coisas...

    ResponderExcluir
  7. Oi flor!
    Estou aqui para divulgar meu bazar, o Estilo Bazar, sou nova aqui nos blogs.
    Dá uma passadinha lá para ajudar e dar uma olhadinha (vai que você se interessa por algo, né?).
    ah, e ainda tenho muuuitas coisas para postar, então as atualizações serão bem frequentes ;)
    se puder linkar, me avise para eu poder retribuir!
    beijão e muito obrigada!
    (se já te mandei esse comentário, por favor me desculpe)

    http://estilo-bazar.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Obrigada, Silvia! Beijo.

    Marie e Bia: muito obrigada. E sejam bem-vindas ao meu blog. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá Ana, palavras, muitas vezes tão preciosas e precisas; outras,tão desnecessárias.Em seu poema,belas são as palavras!
    Abraço,
    Angélica

    ResponderExcluir
  10. encantadíssima, ana! há tempos não me animava assim... adorei seu texto sobre praga.

    ResponderExcluir
  11. Angélica e Luci: muito obrigada e desculpe só hoje estar agradecendo!
    Abraços

    ResponderExcluir